Paróquia São Gabriel Arcanjo do Jardim Paulista

Palavra do Pároco › 18/11/2020

JESUS MISERICORDIOSO, REI DO UNIVERSO

A solenidade de Cristo rei, celebrada neste domingo (22/11), marca o fim do Ano Litúrgico da Igreja Católica, é uma celebração muito recente da Igreja. Instituída pelo Papa Pio XI, em 1925, na época em que o mundo passava pelo pós-guerra de 1917, marcado pelo Fascismo na Itália, pelo Nazismo na Alemanha, pelo comunismo na Rússia. A solenidade foi estabelecida na época para enfatizar que o único poder absoluto é de Deus e colocar os cristãos frente à realeza do rei Jesus, como o Rei bondoso e singelo que, como pastor, guia sua Igreja peregrina para o Reino Celeste e lhe outorga a comunhão com este Reino para que possa transformar o mundo no qual peregrina. A realeza de jesus é a realeza do Amor Ágape de Deus por toda a humanidade e por toda a criação. Essa festa é a ocasião propícia para podermos reconhecer, mais uma vez, que na cruz de Jesus o “poder dominador”, o “poder opressor”, criador de desigualdade e exclusões, espalhador de sofrimento por todo os lados, está definitivamente derrotado.

Jesus será misericordioso com todos aqueles que aceitaram os caminhos de Deus e a Ele procuraram obedecer com sincero coração. Todos esses serão os “benditos de meu Pai” e serão convidados a participar do reino eterno de Deus, preparado para os que O amam (cf Mt 25).

O Domingo de Cristo Rei nos faz pensar no futuro que Deus nos preparou; mas também no presente, que nos é dado a cada dia para fazermos nossas escolhas. É aqui e agora que cada um define o seu futuro. Não percamos, pois, as chances diárias que Deus nos oferece através das circunstâncias da vida, para praticarmos a misericórdia e a caridade e para sermos colaboradores de Deus na edificação de seu reino, já neste mundo. A Festa de Cristo Rei do Universo é momento privilegiado para que a comunidade cristã descubra seu lugar e seu papel na sociedade, Todo o povo de Deus tem como Cristo esta realeza. Ser cristão é construir o Reino de Cristo no mundo. Por isso a Festa de Cristo Rei do Universo, longe de ser algo triunfalista, nos desafia para que façamos um exame de consciência individual e comunitário, para verificar se o nosso Rei é realmente Jesus, ou se, mesmo de uma maneira disfarçada continua sendo César. Os reinos de César acabam em nada, mas o reino de Cristo leva à vida eterna. Sejamos todos, desde agora, cidadãos do reino de Deus para que nossa vida não acabe em frustação.

Neste Domingo de Cristo Rei, aqui no Brasil, lembramos especialmente a vocação dos leigos, que são “sal da terra e fermento na massa” – sal e fermento do Evangelho, para dar gosto e vitalidade boa à vida familiar e social. Deus ilumine e conforte todos os leigos e leigas na sua importante missão na Igreja e na sociedade.

Nesse dia também se inicia a Campanha Nacional para a Evangelização deste ano. Somos todos “discípulos-missionários de Jesus Cristo”, chamados a nos empenharmos na vida e na missão da Igreja. Somos cidadãos do reino de Cristo: cidadãos ativos, operosos e generosos.

E claro, assim terminamos o ano litúrgico. Já começa, de maneira especial, nossa caminhada de Advento, rumo ao Natal. Que essa festa de Cristo Rei já nos coloque no clima e que não esqueçamos que Aquele menino, frágil e dependente da mãe, que vai nascer é, na realidade, o Rei do Universo, da qual todas as coisas foram feitas e em quem todas elas foram renovadas com sua encarnação, morte e ressureição.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X